Blog

História Resumida da Partitura

História Resumida da Partitura

O método de notação musical que conhecemos atualmente como “partituras”, iniciou a ser desenvolvido ainda de maneira bastante primitiva na idade média, no fim do primeiro milênio da era cristã, por meados do século IX, momento em que apareceu uma pauta bastante fácil com somente uma linha na qual eram escritas as notas, entretanto sem muita assertividade. Com o tempo o sistema se desenvolveu e a pauta começou a possui quatro linhas, maneira detectada em diversos registros de música e hino gregoriano.

Em meados do século XI foi desenvolvida a pauta de 5 linhas e/ou Pentagrama musical, esquema que haveria de ser longamente difundido a partir do século XVII simultaneamente com as figuras musicais utilizadas nos dias de hoje para demonstrar as durações das notas, tornando possível grande assertividade no registro de uma composição. Desta maneira, toda a canção retratada a partir dos anos 1600 por mestres como Bach, Mozart e Bethoven foi registrada por intermédio de escritas em pautas musicas parecidas com às que utilizamos hoje em dia, e ainda agora há manuscritos originas de tais grandes mestres, além de reedições de tais manuscritos, que nos possibilitam possui acesso às suas composições com uma significativa riqueza de detalhes.

Deste período pra cá, a pauta musical, manteve suas especiais particularidades, apesar de a partir do séc. XX, diversos compositores da música de vanguarda venham inventando recentes maneiras de criar e anotar canção, utilizando outro modelo de sistematizacao dos sons e de expressão da música em modo notação e até mesmo gráfica.

Anúncios

Estudo de Partitura – Introdução

Estudo de Partitura

Iniciamos aqui nesta apostila nosso treinamento a respeito de como ler partituras, um assunto que todo munto deseja aprender, principalmente aqueles que estão aprendendo a tocar violão do zero. Iremos abordar numa sequência de aulas e livros as principais dicas e treinamentos que necessitamos pra entender como ler e escrever partituras. Esse é um assunto muito importante pra você, que busca se aprofundar em seus estudos musicais e compreender aprincipal forma de representar a música com a escrita.

 

A partitura é um tipo de escrita que permite ao músico registrar melodias, harmonias e ritmos com bastante precisão, além disso, permite também registrar questões de interpretação como dinâmica, andamento e suas variações, intensão interpretativa e questões técnicas como digitações, ligados e ornamentos em geral. Ou seja, é o tipo de escrita mais completo que temos para a música. Por isso, é a escrita mais usada para a publicação de peças do repertório erudito, que normalmente são caracterizadas por muita riqueza de detalhes do ponto de vista do arranjo e da polifonia. Além disso, a maioria das publicações nacionais e estrangeiras voltadas ao repertório da música popular, usa também a linguagem da partitura.

É o caso dos Songbooks e Realbooks, que ainda hoje são importantes referências de acervo do repertório do jazz, da música latina e música popular brasileira em geral. Mas não se assuste, pois, ao mesmo tempo em que a partitura é uma escrita muito completa, ela é bem lógica e está ao alcance de todos os músicos que desejam compartilhar seu trabalho com outros músicos, compor, fazer arranjos
e ter acesso ao repertório popular e erudito.

Cada aula do curso trata de uma parte específica deste assunto, e é importante seguir a sequência correta e fazer todos os exercícios para você assimilar de verdade este conhecimento e inseri-lo pouco a pouco na sua vida musical.

Vamos começar conhecendo um pouco a história da partitura e as primeiras regras de funcionamento que temos de entender.